• Emanuele Cristine

Qual a necessidade de ter um Manual de Identidade Visual?

Você já ouviu falar sobre o manual? Ainda não? Então vem comigo que eu vou te contar a importância de ter um e como desenvolver na sua empresa. O Manual visa organizar o conjunto de manifestações visuais de uma empresa reunindo normas, modelos e padrões que, quando respeitados, preservam a coerência da marca. É importante reconhecer que a identidade visual é capaz de geral reconhecimento e diferenciação à medida que é também grande responsável por construir a relação entre a empresa e seu público.


Para garantir a reprodução adequada da identidade visual, deverá ser disponibilizado para o cliente a versão digital via nuvem ou CD (sim, ainda usamos CD para isso rs) toda a identidade visual da marca além da cópia digital do manual.

 
 

Vamos ver quais os elementos básicos que devem conter um manual?


Símbolo


O símbolo é o primeiro elemento da identidade visual da marca. O uso apenas do símbolo é restrito e poderá ser utilizado apenas mediante autorização da empresa. Por ser um objeto gráfico importante para a empresa e para evitar reproduções imprecisas, o símbolo nunca deverá ser redesenhado, nem reproduzido por scanners ou cópias xerográficas. Deverá sempre ser utilizado a partir do seu original digital.


Logotipo


O logo é o elemento chave da identidade visual e imagem da empresa. Ele proporciona um reconhecimento instantâneo da empresa e de seus produtos. A consistência e coerência no seu uso aumenta o reconhecimento da empresa. Por ser um bem valioso, o logo deve ser usado com cuidado, seguindo-se estritamente às normas do manual.


Restrições importantes que deverão ser aplicadas:


• Não escanear ou redesenhar o logo.

• Não usar o logo como parte de outro símbolo e não o envolver em qualquer forma geométrica.

• Nunca usar o logo para objetivos pessoais.

• Nunca usar o logo dentro de uma sentença. Qualquer referência à empresa deve aparecer na mesma tipografia do texto.

• Limitar seu uso a apenas um logo por página ou superfície.


Redução máxima permitida do símbolo e do logo


Para não haver interferência em sua leitura e para garantir que o símbolo e o logotipo seja apresentado com a máxima clareza e impacto visual, deverá sempre haver uma área livre de elementos gráficos ao redor deles, relativo à altura de X, que geralmente é retirado do próprio símbolo. Por exemplo:





Redução máxima. A empresa usada como exemplo é a Promotor Imóveis.








Área de proteção. A empresa usada como exemplo é a Promotor Imóveis.



Versões de um logo


Uma marca pode possuir mais de uma versão de logo símbolo: versão inteira em branco, inteira em preto, colorida, horizontal, vertical e por assim vai. Não há restrições na criação de versões, mas é importante que haja regras para o uso dessas versões e é aqui no manual que elas deverão ser explicadas e exemplificadas para não haver erro no momento do uso.

Exemplo:



Versões de um símbolo. A empresa usada como exemplo é a Promotor Imóveis.



Aplicação sobre imagens


Além da redução máxima, a marca deverá criar padrões e regras no uso do logotipo ou do símbolo quando forem aplicados sobre um fundo colorido ou sobre uma imagem: quando o logo na versão branca ou preta deve ser usada? Quando a versão vertical do logo poderá ser usada? E a versão horizontal?


Responder algumas dessas perguntas ajudará a começar a pensar e criar tais regras para os mais diversos usos do logotipo da marca.


Padrões cromáticos


As cores são parte integrante da identidade visual da empresa e o objetivo do uso consistente das cores associadas à marca é gerar reconhecimento, consciência e familiaridade junto aos clientes e potenciais clientes da empresa. Portanto, é imprescindível para uma reprodução correta, que contenha no manual as especificações de cada cor primária e secundária da marca em CMYK, RGB, Pantone e Hexa crome.

 
 

Família Tipográfica


A tipografia, ou tipo de letra, tem um papel fundamental ao criar unidade nos elementos de comunicação da marca e consequentemente reforçar a identidade visual e imagem da empresa. A família tipográfica para todos os textos utilizados nos elementos impressos e

digitais da marca deverá ser especificado no manual, indicando onde e como deverão ser usadas. Por exemplo: apenas para título, apenas para subtítulo, apenas para texto corrido.


Outras possibilidades…


As aplicações de logo são infinitas! Algumas empresas corporativas usam muito a papelaria (envelopes, papel timbrado, cartão de visitas, etc.), já outras empresas mais usam cartões de visitas e outros elementos gráficos digitais.


Seja qual for a aplicação requisitada, deverá estar contido no manual toda e qualquer aplicação que seja uma extensão do padrão e unidade visual da empresa, acompanhado das regras de uso.


 
 

Conclusão


Para manter a unidade visual de uma marca, todos os funcionários de uma empresa devem conhecer e utilizar o manual de identidade visual para não cometer erros no momento de criar artes, criativos e divulgação da empresa!


Não tem um manual de identidade visual e ficou interessado em um? Converse conosco!


Aprofunde ainda mais os seus estudos baixando o nosso e-Book "Do zero até a criação da sua startup".

Obrigada por ler até aqui e se ficou com dúvidas entre em contato!


XO em bitmap,


Manu Souza


Gestora de Design da Sozei

14 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo